Monthly Archive for: ‘abril, 2015’

Manutenção Predial: Limpeza de Fachadas

A Importância da Manutenção Predial rotineira

Na rotina de um edifício, diversos serviços de manutenção predial devem estar em dia não só para uma boa aparência do mesmo e para a comodidade dos condôminos e/ou frequentadores, mas também para a segurança de todos.


É importante estar sempre atento a itens como colocação e manutenção de pára-raios, serviços de alvenaria, limpeza de telhado e calha, limpeza de fachadas e muitos outros serviços que nós da Fix Soluções em Engenharia oferecemos e você pode ver entrando na nossa página de Serviços: Soluções através de Alpinismo Industrial.


Limpeza de Fachada: quando realizar?

A constante exposição do edifício ao calor intenso e chuvas, com repentinas mudanças de temperatura, pode levar à deterioração da fachada. Com o tempo, a pintura não está mais apresentável, o revestimento fica comprometido e a segurança de pedestres e veículos também, ou seja, está chegando o momento em que o edifício necessita dos serviços de Limpeza de Fachadas e Manutenção Predial.


A frequência pode depender de vários fatores como a localização do edifício, a exposição aos fatores citados anteriormente e outros. Você pode entrar em contato com a Fix Soluções para ter certeza e verificar a necessidade de realizar a limpeza de fachadas do seu prédio. Além da limpeza de fachadas, é importante, também, a manutenção predial de itens como a pintura, rejuntamento e pastilhas devido a ação dos ventos e da chuva.


A Fix Soluções

A Fix Soluções está no topo entre as empresas de manutenção predial e limpeza de fachadas no mercado nacional. Utilizamos ferramentas próprias, exclusivas e muito eficientes. Nossos profissionais são altamente treinados, com certificação IRATA e NR 35, seguindo os procedimentos para trabalho em altura.


Já falamos, aqui no blog, sobre as NR 33 e a NR 35 e garantimos: a Fix Soluções possui todos os requisitos destas Normas Regulamentadoras para que o serviço seja prestado no prazo e com o compromisso de oferecer o melhor custo benefício do mercado.



Gostou desse post? tem alguma dúvida, sugestão ou atualização das informações apresentadas? Faça seu comentário!

O que é um espaço confinado?

Placa de Espaço Confinado

Definição de Espaço Confinado

Espaço Confinado é qualquer ambiente ou área não projetada para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é escassa para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio. Através das aplicações da NR 33, é possível identificar o espaço confinado, fazer o reconhecimento, avaliação e o controle de riscos. Com isso, o Ministério do Trabalho e Emprego garante a segurança permanente de todos os trabalhadores que interajam direta ou indiretamente em espaços confinados.


Para o local em questão ser classificado como espaço confinado, ele deve possuir ao menos 3 (três) itens mostrados na Norma Regulamentadora 33:

• Não projetado para ocupação humana;
• Meios limitados de entrada e saída;
• Ventilação insuficiente para remoção de contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.


Riscos para trabalho em espaço confinado:

• Falta ou excesso de oxigênio;
• Incêndio ou explosão, pela presença de vapores e gases inflamáveis;
• Intoxicações por substâncias químicas;
• Infecções por agentes biológicos;
• Afogamentos;
• Soterramentos;
• Quedas;
• Choques elétricos;
• Todos estes riscos podem levar à morte ou doenças.


O que é uma PET e para que serve?!

PET é um documento que abrange o conjunto de métodos de segurança para a entrada e o desenvolvimento de trabalho em espaço confinado, assim como estabelecer medidas de emergência e/ou resgate em espaços confinados.


Toda entrada para trabalho em espaço confinado deve ser precedida de uma PET, que de acordo com a NR 33.3.4.5, deve ser emitida pelo supervisor de entrada em espaços confinados.


Cabe ao supervisor de entrada:

• Emitir a Permissão de Entrada e Trabalho antes do início das atividades;
• Executar os testes, conferir os equipamentos e os procedimentos contidos na Permissão de Entrada e Trabalho;
• Assegurar que os serviços de emergência e salvamento estejam disponíveis e que os meios para acioná-los estejam operantes;
• Cancelar os procedimentos de entrada e trabalho quando necessário;
• Encerrar a Permissão de Entrada e Trabalho após o término dos serviços.


OBS:O Supervisor poderá realizar a função de vigia se necessário for, desde que cumpra todas as tarefas do Vigia.


O Vigia

Vale ressaltar que durante a realização dos trabalhos em ambientes de espaços confinados, fica obrigatória a presença de uma pessoa vigiando.


O Vigia tem como função observar o trabalho e manter contato com o trabalhador para evitar acidentes, agindo na retirada ou salvamento (em caso de emergência) do trabalhador do espaço confinado.


Cabe ao vigia:

• Sempre permanecer do lado de fora do espaço confinado e manter comunicação apropriada com o trabalhador;
• Fazer a contagem das pessoas que trabalham no espaço confinado, evitando assim, a presença de pessoas não autorizadas no local;
• Ordenar o abandono do espaço confinado sempre que reconhecer algum sinal de alarme, perigo, sintoma, queixa, condição proibida, acidente, situação não prevista ou quando não puder desempenhar efetivamente suas tarefas, nem ser substituído por outro Vigia;
• O Vigia não poderá realizar atividades que possam comprometer sua atividade principal que é monitorar e proteger os trabalhadores autorizados no espaço confinado.


Cabe ao empregador:

a) indicar formalmente o responsável técnico pelo cumprimento desta norma;
b) identificar os espaços confinados existentes no estabelecimento;
c) identificar os riscos específicos de cada espaço confinado;
d) implementar a gestão em segurança e saúde no trabalho em espaços confinados, por medidas técnicas de prevenção, administrativas, pessoais e de emergência e salvamento, de forma a garantir permanentemente ambientes com condições adequadas de trabalho;
e) garantir a capacitação continuada dos trabalhadores sobre os riscos, as medidas de controle, de emergência e salvamento em espaços confinados;
f) garantir que o acesso ao espaço confinado somente ocorra após a emissão, por escrito, da Permissão de Entrada e Trabalho, conforme modelo constante no anexo II desta NR;
g) fornecer às empresas contratadas informações sobre os riscos nas áreas onde desenvolverão suas atividades e exigir a capacitação de seus trabalhadores;
h) acompanhar a implementação das medidas de segurança e saúde dos trabalhadores das empresas contratadas provendo os meios e condições para que eles possam atuar em conformidade com esta NR;
i) interromper todo e qualquer tipo de trabalho em caso de suspeição de condição de risco grave e iminente, procedendo ao imediato abandono do local; e
j) garantir informações atualizadas sobre os riscos e medidas de controle antes de cada acesso aos espaços confinados.


Cabe aos trabalhadores:

a) colaborar com a empresa no cumprimento desta NR;
b) utilizar adequadamente os meios e equipamentos fornecidos pela empresa;
c) comunicar ao Vigia e ao Supervisor de Entrada as situações de risco para sua segurança e saúde ou de terceiros, que sejam do seu conhecimento; e
d) cumprir os procedimentos e orientações recebidos nos treinamentos com relação aos espaços confinados.



Gostou deste post? tem alguma dúvida, sugestão ou atualização das informações apresentadas? Faça seu comentário!

Sistema de Ancoragem fixando acesso por corda

Acesso por corda fixa no sistema de ancoragem
Alpinista industrial executando serviço de limpeza de fachadasAlpinista industrial executando serviço de limpeza de fachadas

Mercado de acesso por corda fixa no ponto de ancoragem

Utilizado há mais de 20 anos em todo o mundo, utilizando Sistema de Ancoragem como fixação, segue crescendo no Brasil a cada dia que passa. Mesmo com a queda de serviços no mercado nacional da construção civil, o Alpinismo Industrial, ainda é considerado por muitos, a profissão do presente e do futuro. Por questões de custo benefício e praticidade, o mercado petrolífero é um dos pontos fortes que adotaram essas técnicas e atividades.

No ano de 2014, um alpinista industrial, certificado pela IRATA, já conseguia faturar cerca de mais de 50% de aumento no salário, podendo chegar a um teto de 12 mil reais por mês.

 

Definição de Acesso por cordas

De acordo com a nova ABNT NBR 15475:2015, o acesso por corda é uma técnica de progressão, utilizando cordas fixadas em sistemas de ancoragem (conjunto de pontos de ancoragem ou gancho de ancoragem, se preferir) e outros equipamentos mecânicos para descender, ascender ou se deslocar na horizontal e, além disso, ainda tem o posicionamento no ponto de trabalho.

 

Onde utilizar a técnica de acesso por corda?!

Esta técnica é utilizada em atividades em que o acesso fica inviável por técnicas convencionais, ou seja, em locais elevados, espaço confinado, instalação de andaime, etc. Também são indicados em algumas atividades pontuais onde não há necessidade de montagem de estruturas e requer rapidez.

 

Serviços de alpinismo industrial, utilizando pontos de ancoragem como fixação das cordas:

  • Serviços de inspeção, montagem e fabricação;
  • Manutenção e operação de estruturas metálicas;
  • Pontes;
  • Navios;
  • Plataformas de petróleo;
  • Vasos de pressão;
  • Fornos;
  • Caldeiras;
  • Chaminés;
  • Geradores de energia eólica;
  • Flares;
  • Termoelétricas;
  • Hidrelétricas;
  • Torres (energia, telefônica, rádio, televisão);
  • Limpeza de fachada predial;
  • Colocação de banner;
  • Levantamento geotécnico;
  • Poda e tratamento de árvores;
  • Entre outros.

 

OBS: Vale ressaltar também que como citamos na nossa página do serviço de Ponto de Ancoragem, segundo a NR 18, todas as edificações, novas ou antigas, sem exceção, deverão possuir um Sistema de Ancoragem instalado.



Gostou deste post? tem alguma dúvida, sugestão ou atualização das informações apresentadas? Faça seu comentário!

close